quinta-feira, 11 de setembro de 2008

O mito da caverna

"Imaginemos um muro bem alto separando o mundo externo e uma caverna . Na caverna existe uma fresta por onde passa um feixe de luz exterior. No interior da caverna permanecem seres humanos, que nasceram e cresceram ali."

"Ficam de costas para a entrada, acorrentados, sem poder locomover-se, forçados a olhar somente a parede do fundo da caverna, onde são projetadas sombras de outros homens que, além do muro, mantêm acesa uma fogueira".

"Os prisioneiros julgam que essas sombras sejam a realidade."

"Um dos prisioneiros decide abandonar essa condição e fabrica um instrumento com o qual quebra os grilhões. Aos poucos vai se movendo e avança na direção do muro e o escala, com dificuldade enfrenta os obstáculos que encontra e sai da caverna, descobrindo não apenas que as sombras eram feitas por homens como eles, e mais além todo o mundo e a natureza."

Interpretação segundo a Wikipedia

"Platão referia-se aos seus contemporâneos, com suas crenças e superstições. O filósofo era qual um fugitivo capaz de fugir das amarras que prendem o homem comum às suas falsas crenças e, partindo na busca da verdade, consegue apreender um mundo mais amplo. Ao falar destas verdades para os homens afeitos às suas impressões, não seria compreendido e seria como tomado por mentiroso, um corruptor da ordem vigente."

"O mito da caverna é uma metáfora da condição humana perante o mundo, no que diz respeito à importância do conhecimento filosófico e à educação como forma de superação da ignorância, isto é, a passagem gradativa do senso comum enquanto visão de mundo e explicação da realidade para o conhecimento filosófico, que é racional, sistemático e organizado, que busca as respostas não no acaso, mas na causalidade."

Alguma semelhança?

4 comentários:

Vendedor de sonhos. disse...

Ficamos presos a sociedade, com medo de não conseguirmos viver bem.

Matthew Salbego disse...

Esse mito é o meu preferido. Ele expressa exatamente a realidade da maioria das pessoas, que vivem mergulhadas na total escuridão e ignorância. Bons teus textos cara, gostei mesmo.
AbraçOo!

Fernando Souza disse...

Olá Diogo. Ficaria mais feliz se visse uma reinterpretação sua em cima desse texto.

Eu gosto de filosofia antiga, e principalmente da forma como os gregos pensavam e admiro muito eles, que foram os povos que mais influenciaram nós, ocidentais.

Você me perguntou qual o significado de mundo para mim. Existe uma coisa que se chama Planeta, é um corpo terrestre. O que nós dependemos, e onde vivemos é o Terra. Esse corpo é sustentado naturalmente, por cordas invisiveis das quais provavelmente não sabemos como são, mas que a física tenta interpretar. Fora o planeta, existe o mundo. O mundo é interpretado pelos geólogos como toda a extensão territorial do planeta, visto de dentro, abrangendo países, oceanos, etc.

Existe o mundo inteior, aquele que espiritualistas, psicólogos, psicanalistas, filósofos e muitos outros atribuem nossa mente (abrangendo pensamentos, percepções, etc.), sentimentos e alma. É através desse mundo que tento atingir a felicidade, é através dele que uso minha inteligencia e que escrevo. Esse mundo não é meu, nem seu, e sim de toda a humanidade. Por isso, quando temos uma idéia mirabolante, é um erro dizermos "tive uma idéia única": simplesmente estamos tropeçando por ela pela primeira vez, porque não existe a expressão "a inteligencia do Diogo", "a inteligencia do Fernando", e sim a expressão "a inteligencia humana", pois é uma só, assim como nossas almas.

Tudo o que fazemos, fazemos por alguma influencia. Meus textos se originam do conhecimento que tenho a respeito de outros textos. Você é um exemplo disso! Essa sua postagem, p. ex., tem mais texto dos outros que texto seu! É através dessa interferencia dos grandes sábios q formamos nossa própria personalidade. Formada nossa personalidade, poderemos, enfim, inspirar pessoas que ainda estão formando as suas.

Um abraço,
fernando
http://neo-bio-blog.blogspot.com/

Fernando Souza disse...

P.S: Falei, no segundo parágrafo, que gosto dos gregos. Inclusive, essa minha imagem de perfil é do Ovídio, esse gênio latino antigo, que tenho admiração, porque acredito que ele possuía enorme espiritualidade.