quarta-feira, 28 de abril de 2010

Discutir ou não discutir,eis a questão!

Fazia algum tempo que não postava no blog,tempo suficiente para refletir.Alguns acontecimentos,alguns erros,alguns acertos,até ai nada anormal,mas cheguei ao determinado momento em que meu raciocinio independente do tempo e das reflexões,me dizia uma coisa quando outras pessoas diziam outras coisas.
Muito comentei no blog e sempre faço coro que cada um é cada um,somos todos diferentes,todos com pensamentos diferentes,mas as vezes as pessoas parecem não raciocinar,não parecem racionalizar!Nestes casos,a receita comum para se entender,para se avaliar,é se colocar no lugar do outro,tentar entender o ponto de vista do "rival".O problema é que quando dificilmente uma discussão termina sem que alguém fique chateado.
E provavelmente toda vez que nos chateamos,seja de forma racional ou irracional,correta ou incorreta, achamos que estamos certos de que foi culpa dos outros,geralmente de quem lhe feriu.Mas assim,só vemos o nosso lado!Vemos a nossa dor,os nossos sentimentos!Desta forma não seria possível refletir pois não nos colocaríamos mais no lugar do outro e sim estaríamos presos em nossas dores.Em Biologia,quando aparece o termo "competição" entre duas ou mais espécies,todos saem perdendo.Mesmo que esteja sofrendo,provavelmente a outra pessoa estará também.As intensidades,os sentidos e as direções são diferentes,mas ambos os lados sofrerão!Assim,o resultado de uma discussão será inevitavelmente o desgaste de ambas as partes,independente do tamanho ou forma que este se manifestará.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Saudades dos tempos de criança

Como tenho saudades dos tempos de criança.
Saudade das dores que não doíam tanto,
dos variados e ilimitados sorrisos,
da simplicidade por todos os cantos,
de viver cercado por amigos.

Saudades da inocência,
de não ter um coração partido
que em meio a incoerências
era sempre revivido.

Saudades das brincadeiras,
pique-pega,pique-esconde,
mesmo envolto de sujeira
era mais rico que um conde.

Saudades de não me importar
de continuar seguindo em frente
vivendo sem ignorar
o passado,o futuro e o presente.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Reflexões

Existe somente uma idade para a gente ser feliz,
somente uma época na vida de cada pessoa
em que é possível sonhar e fazer planos
e ter energia bastante para realizá-las
a despeito de todas as dificuldades e obstáculos.

Uma só idade para a gente se encantar com a vida e viver apaixonadamente
e desfrutar tudo com toda intensidade
sem medo, nem culpa de sentir prazer.

Fase dourada em que a gente pode criar
e recriar a vida,
a nossa própria imagem e semelhança
e vestir-se com todas as cores
e experimentar todos os sabores
e entregar-se a todos os amores
sem preconceito nem pudor.

Tempo de entusiasmo e coragem
em que todo o desafio é mais um convite à luta
que a gente enfrenta com toda disposição
de tentar algo NOVO, de NOVO e de NOVO,
e quantas vezes for preciso.

Essa idade tão fugaz na vida da gente
chama-se PRESENTE
e tem a duração do instante que passa.