quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Poema sem nome de Fernando Pessoa

"Onde você vê um obstáculo,
alguém vê o término da viagem
e o outro vê uma chance de crescer.
Onde você vê um motivo pra se irritar,
Alguém vê a tragédia total
E o outro vê uma prova para sua paciência.
Onde você vê a morte,
Alguém vê o fim
E o outro vê o começo de uma nova etapa...
Onde você vê a fortuna,
Alguém vê a riqueza material
E o outro pode encontrar por trás de tudo, a dor e a miséria total.
Onde você vê a teimosia,
Alguém vê a ignorância,
Um outro compreende as limitações do companheiro,
percebendo que cada qual caminha em seu próprio passo.
E que é inútil querer apressar o passo do outro,
a não ser que ele deseje isso.
Cada qual vê o que quer, pode ou consegue enxergar.
"Porque eu sou do tamanho do que vejo.
E não do tamanho da minha altura."

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Não sei quantas almas tenho(Fernando Pessoa)

" Não sei quantas almas tenho.
Cada momento mudei.
Continuamente me estranho.
Nunca me vi nem acabei.
De tanto ser, só tenho alma.
Quem tem alma não atem calma.
Quem vê é só o que vê,
Quem sente não é quem é,
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu.
Cada meu sonho ou desejo
É do que nasce e não meu.
Sou minha própria paisagem;
Assisto à minha passagem,
Diverso, móbil e só,
Não sei sentir-me onde estou.
Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser.
O que sogue não prevendo,
O que passou a esquecer.
Noto à margem do que li
O que julguei que senti.
Releio e digo: “Fui eu?”
Deus sabe, porque o escreveu."


Poema sem nome de Vinícius de Moraes



"Eu sei e você sabe
Já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe
Que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos
Me encaminham a você.
Assim como o Oceano, só é belo com o luar
Assim como a Canção, só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem, só acontece se chover
Assim como o poeta, só é bem grande se sofrer
Assim como viver sem ter amor, não é viver
Não há você sem mim
E eu não existo sem você!"


segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Soneto do Amor Total(Vinícius de Moraes)

" Amo-te tanto meu amor... não cante
O humano coração com mais verdade...
Amo-te como amigo e como amante
Numa sempre diversa realidade.
Amo-te enfim, de um calmo amor prestante
E te amo além, presente na saudade.
Amo-te, enfim, com grande liberdade
Dentro da eternidade e a cada instante.
Amo-te como um bicho, simplesmente
De um amor sem mistério e sem virtude
Com um desejo maciço e permanente.
E de te amar assim, muito e amiúde
É que um dia em teu corpo de repente
Hei de morrer de amar mais do que pude."


Soneto da Fidelidade(Vinícius de Moraes)



"E tudo, ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meus pensamentos
Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento
E assim quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama
Eu possa me dizer do amor (que tive)
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure"


segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Conto : Uma noite de outro planeta

Uma noite de outro planeta
escrito por Diogo Coimbra


"Tava andando pela rua bem tranquilo e sussegado",quando vi umas luzes no céu e reparei que elas vinham pro meu lado!Curioso fiquei a contemplar aquele acontencimento suntuoso.Depois de horas a obersavar reparei que as luzes não estavam mais lá!Olhei para um lado olhei para o outro lado, olhei para o lado oposto do lado do outro lado que ficava do outro lado do lado inicial,mas não encontrava nada.

Continuei "pela estrada fora","caminhando e cantando e seguindo a canção",mas infelizmente meu destino estava traçado.Quando virei a esquina me deparei com um objeto redondo do tamanho de uma casa!O objeto piscava sem parar luzes coloridas,e tinha em cima dele um letreiro luminoso enorme escrito ET's Burguer,infelizmente não liguei o nome a pessoa,tambem não conhecia ninguem chamado ET!

Me aproximei com cautela,sempre curioso.Quando olhei pela porta do objeto,só pude notar que a mobília pareciam ser estrangeira,porque os móveis tinham uma cor metálica e tambem variavam formatos diferentes,talvez sejam móveis do Japão!Disse que só pude notar isso porque levei um forte golpe na nuca,e como não lembro de nada depois disso além de no momento senti uma forte dor na cabeça,dedusi que tinha desmaiado.Me senti tonto,sempre acordando em estado de "zumbi"e apagando novamente.Enquanto apagava e acordava,vi novamente japoneses,aqueles malditos japoneses verdes,com olhos enormes e pretos e o pior,não tinham nariz!Os malditos japoneses me enfiaram...me enfiaram...me enfiaram hamburgueres(achou que era algo pornográfico né) guéla abaixo!Malditos japoneses me fizerem comer hamburgeres horríveis!

Do nada acordei e percebi que estava deitado em um banco da praça!Não me lembro de ter deitado lá,mas sabe como é né,de vez em quando perdemos o rumo,então decidi ir para casa.Durante o caminho,observei luzes estranhas desaparecerem no céu,e lembrei do acontecido.Seriam experiencias dos japoneses?Nunca irei saber.No final,a única coisa que tinha certeza é de que estava com uma forte dor de barriga.



Obs:Escrevi esse conto,em uma comunidade do orkut com objetivo de explicar minha ausência de modo engraçado,e ao mesmo tempo satirizar et's e ovnis.

domingo, 5 de outubro de 2008

Estranha sensação

Essa sensação ruim,a sensação de que estou sozinho retornou.
Eu não tenho a mínima idéia de como ela apareceu,mas ela já se tornou presente na minha vida.
Eu me sinto sozinho,como se eu não tivesse importância.
Eu sei que minha presensa é insignificante se tratando do Mundo,mas para as pessoas ao meu redor,eu imagino que seja importante.
O problema,é que as vezes sinto que não sou importante para as pessoas ao meu redor,me sinto excluido por elas.
Como essas pessoas são as que estão mais perto de mim,me sinto sozinho,essa é a sensação!
Eu sinto que estou só,que não há ninguem comigo,ali do meu lado,me apoiando,me escutando.
Sinto que se morresse,não faria falta para as pessoas que fazem falta para mim!
Me sinto...sozinho.